Bexiga

Incontinência Urinária

Perda involuntária de urina não é normal. Se você perde “xixi”na roupa, está sendo acometido por uma condição muito frequente: incontinência urinária.

A incontinência urinária (IU) constitui importante problema de saúde pública. Sua repercussão compromete, principalmente, a qualidade de vida da população afetada. A prevalência da IU varia de 2 a 55%. Entre as mulheres de meia idade, a prevalência chega a 25%, sendo a incontinência urinária de esforço (IUE), isoladamente, responsável por mais da metade dos casos.

Para que a continência seja mantida, depende-se do posicionamento e suporte da uretra e do esfíncter uretral. O correto posicionamento da uretra e suporte é dado pelo músculo elevador do ânus, fáscia endopélvica e seus ligamentos (pubo uretral e uretro pélvico). Quando estas estruturas estão danificadas, a mulher pode sofrer de incontinência urinária de esforço.

Os sintomas referidos pelas pacientes são: perda urinária ao tossir, espirrar ou fazer força.

O tratamento mais realizado atualmente é o sling sintético (imagem abaixo), que restaura a continência, fornecendo suporte à uretra media.

Câncer de Bexiga

O câncer de bexiga incide mais em pessoas idosas (idade mediana de 65 anos) e acomete mais homens. Segundo dados nacionais, 7.200 homens e 2.470 mulheres foram acometidos em 2016 (INCA). Os fatores de risco mais implicados nesta doença são o tabagismo e contato com certas substâncias químicas derivadas do benzeno.

Os sintomas mais comuns são hematúria (sangramento na urina) e o diagnóstico é feito através de exame de imagem e cistoscopia com ressecção do tumor.O tratamento definitivo pode ser através da RTU de bexiga, da cistectomia radical ou da radioterapia com quimioterapia

Uretrite (DST)